800 mordomas e 94 milhões de euros em ouro na Romaria d’Agonia

As oitocentas mordomas que este ano se preveem desfilar pelas ruas de Viana do Castelo num dos números emblemáticos da Romaria d’Agonia, vão carregar mais de 94 milhões de euros em centenas de quilos de peças de ouro.

A estimativa foi feita por Vítor Coutinho, proprietário de uma das mais antigas ourivesarias de Viana do Castelo, com base no número de inscrições que a VianaFestas fixou para o desfile deste ano, a quantidade de peças usadas por cada mulher e, o preço de hoje, da grama do ouro.

A entidade promotora das festas da capital do Alto Minho, prevendo um aumento de interessadas no desfile, depois de dois anos de ausência daquele número que todos os anos atrai milhares de pessoas à cidade, estabeleceu um limite de participação a 800 mordomas no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto.

“Para este ano prevemos muita vontade de participação no desfile da mordomia, tal como em todos os momentos da festa. Prevemos atingir ou ultrapassar o número de mordomas da edição de 2019, contudo estamos conscientes que, para ser possível a organização do desfile pelas ruas da cidade, teremos que limitar a participação a um número máximo de 800 mordomas”, disse Ana Sofia Araújo, responsável pela organização daquele número.

Ana Sofia Araújo explicou que a decisão da Comissão de Festas “relaciona-se com toda a logística organizadora do desfile e pensando também em quem o vem ver”.

“Queremos a participação das freguesias com todo o colorido do seu trajar. Queremos mostrar a alegria da festividade e, claro, a chieira natural das mulheres de Viana”, sublinhou.

A estimativa do ourives Vítor Coutinho do valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar foi calculado com base no preço da grama do ouro, 47 euros, e nos 2,5 quilogramas, em média, que cada uma das mulheres transporta naquela que é considerada a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país.

Em 2013, à Lusa, o ourives Manuel Freitas, um dos maiores especialistas no ouro tradicional de Viana do Castelo, entretanto falecido, estimou que cada mordoma transporta, em média, entre um e 2,5 quilogramas.

“Com base nessa estimativa do doutor Manuel Freitas, e no número previsto de mulheres que vão desfilar, estamos a falar de mais de 94 milhões de euros em ouro. É um valor indicativo, porque depende do preço da grama de ouro, em agosto e porque há mordomas que usam mais e, outras, menos peças. No entanto, estamos a falar de muito ouro e de muito dinheiro”, sublinhou Vítor Coutinho.

O proprietário da ourivesaria Venâncio Sousa, fundada em 1872 pelos trisavós realçou que o preço do ouro tem subido “exponencialmente”.
“Já tinha aumentado antes do início da guerra na Ucrânia, e depois do início da guerra subiu imenso. Em média subiu cerca de cinco a seis euros por cada grama de ouro. Em quilogramas é muito dinheiro. E agora com o bloqueio ao ouro russo, então é que o preço vai disparar”, explicou o ourives.

Em 2019, de acordo com dados avançados pela VianaFestas, participaram no desfile 619 mordomas de Portugal, França, Luxemburgo, Brasil, Andorra, Reino Unido e até da República Checa.

O prazo para as inscrições no Desfile da Mordomia da Romaria d’Agonia de 2022, começa no dia 15 de julho e prolonga-se por duas semanas.
As interessadas podem inscrever-se através de uma plataforma ‘online’.

O desfile, que se realiza desde 1968, estabelece os 14 anos como idade mínima de participação, a ausência de maquilhagem ou unhas pintadas ou de gel, a obrigatoriedade de uso de peças de ourivesaria tradicional portuguesa e de trajes tradicionais de Viana do Castelo, como os trajes de Festa da Ribeira, à Vianesa, de Cerimónia/Lavradeira Rica ou Traje de Mordoma.

O desfile da mordomia é o momento em que os diferentes trajes das freguesias de Viana se encontram e mostram, de uma só vez, à cidade.
Trata-se de uma tradição cada vez mais enraizada entre as jovens e mulheres de Viana do Castelo e que junta várias gerações, num quadro único das festas.

Desde 2014, também as mulheres da ribeira de Viana do Castelo, com os seus trajes de varina, participam neste desfile colorido pelos vermelhos, verdes e amarelos dos típicos e garridos trajes das diferentes freguesias.

Não faltam também os fatos de noiva mais sóbrios, de cor preta. Neste número algumas das mulheres chegam a carregar, dezenas de quilos de ouro, reunindo as peças de famílias e amigos num único peito, simbolizando a “chieira” (termo minhoto que significa orgulho) e outrora o poder financeiro das famílias.

 

Exit mobile version